quarta-feira, 7 de julho de 2010

Fases da Vida: Rumo ao abismo


















Olá, é meu primeiro post e espero fazer por merecer como os dois primeiros fizeram.

Eu não vou focar em idade, vou falar sobre uma fase que, acredito eu, muitos de vocês vão passar, ou já passaram. Não importa a idade, é uma coisa que em algum momento sentimos.

Você está seguindo sua vida e de repente não tem mais vontade de continuar, sente como se estivesse caminhando em direção a um abismo, que você não vê, mas sabe que está bem em frente, sabe que se der mais um passo você cai. Tem vontade de parar, parar e simplesmente não ter que fazer certas escolhas, são tantos caminhos pra seguir, tantas escolhas e você quer parar. Você quer parar, mas continua indo em direção ao abismo.

Como minha amiga me disse uma vez: parece que estamos pisando em ovos. Sim, pisando em ovos, e a cada passo que é dado você sente eles se quebrarem. Você não consegue enxergar o chão, você não sente o chão, parece caminhar no vazio.

Mesmo sabendo que há pessoas em sua volta que te amam e que se preocupam, você ignora tudo isso, se perde em seu egoísmo e começa a sua autodestruição.

Pode começar devagar, com um olhar de desdém em frente ao espelho, depois piora. Você usa o álcool, o cigarro, como válvula de escape, uma escolha burra, uma escolha errada que você sabe ser inútil, mas continua. Se fecha em seu quarto, em seu mundo, mergulha em livros e músicas e vive em um universo paralelo e imaginário, um mundo que você sabe que só existe dentro de você, mas que você usa para fugir da realidade.

Mesmo sabendo que está fazendo as escolhas erradas, mesmo sabendo que pode mudar as suas escolhas continua indo em direção ao abismo, ansiosa para que o alcance logo. Palavras amigas, preocupações, lágrimas, nada disso adianta, e você continua sua caminhada autodestrutiva.

É uma fase, que eu achei que nunca iria acabar, mas está no fim. Pode ser ilusão minha pensar que outros sentem a mesma coisa que um dia eu senti, mas pode ser que não. Compartilhar isso no meu primeiro texto aqui me fez um bem enorme, e espero que gostem.

E não, eu ainda não descobri como mudei de direção. Na verdade eu sei que ALGUÉM me ajudou, e muito, por isso tem grande mérito na mudança.

5 comentários:

Mavors Green disse...

Sei como é essa fase, é interessante ler alguém falando sobre isso pois normalmente se lida com gente que não está tão animada com a vida como se fosse leproso. Ou alguém que necessariamente precisa de um médico...

Então, é raro ler sobre isso, te achei muito corajosa em se expor assim e explorar o tema. E não, você não está sozinha, acho impossível que alguém não passe por uma fase parecida antes de uma grande mudança. É, acho que as grandes mudanças surgem daí, desse momento "down". Quando você menos ver vai vir uma explosão de ideias e vontades para a próxima fase (pelo menos eu, otimista, acredito nisso... claro, depois que a fase passa =X ).

Sneonzeit Dämmerung disse...

Surpreendente como podemos do nada ler a história de uma parte de nossa vida escrita por outra pessoa. =O

Muitas vezes acho que travamos gerando esperanças em atos e expectativas para nos movermos, com um misto de medo de sair da nossa caverna, o que me lembra o The Architect:
"Hope, it is the quintessential human delusion, simultaneously the source of your greatest strength, and your greatest weakness."

Mandag Súlimo disse...

É um lindo post, e muito corajoso mesmo. Já é difícil arranjarmos coragem para aceitar isso, quanto mais escrever sobre. O fundo do poço sempre chega para todos, não tão fundo para alguns e fundo demais para outros, o importante é reunirmos forças, esperança, e mudarmos a direção antes de cairmos no abismo. Uma fase de superação, de confiança.

A imagem escolhida é belíssima *-*'
Combinou perfeitamente =)

Ah, agora que já mudou o caminho vamos curtir a vida hehehe =p

Guru Rorschach disse...

Essa fase é absolutamente "normal", pois desconheço alguem que nunca tenha passado por ela. É uma fase perigosa, pois senão for forte, não conseguir segurar a barra, pode acabar entrando em uma depressão profunda, as vezes levando até ao suicídio.

Schermak, Anna disse...

Gostei do Post.
e como dizem, essa fase é normal.
Não será um ser humano completo se não tiver uma fase assim.