sexta-feira, 30 de julho de 2010

Medo.

Olá, e então chegou novamente meu dia de postar. Tenho que concordar que o tema dessa semana é difícil e tenho dúvidas se conseguirei falar sobre algum sentimento, porém vamos lá. Falarei então do medo. Sentimento perturbador esse. Só quem o sentiu, pelo menos alguma vez na vida, sabe do que falo.

O medo nos impossibilita de realizarmos as mais variadas coisas, seja de falar com alguém que admiramos muito, porém não sabemos qual será a sua reação ao ouvir o elogio que temos a dizer, ou o medo de não conseguir levar em frente algum sonho nosso. Não conseguimos juntar coragem suficiente para realizar nossos sonhos, e sabemos que isso é tudo fruto do medo.

Sentimos medo e sentimos um frio na barriga. Mas é diferente do frio na barriga quando estamos com a pessoa amada, sabe? É um frio sombrio, obscuro. E acho que ninguém gosta de sentir essa sensação.

O medo também está presente quando vamos dar um passo novo em nossas vidas, quando desejamos mudar alguma coisa. Ter medo de mudanças, mesmo as querendo demais, é algo natural de muitas pessoas. É algo natural meu também. Confesso que já deixei de realizar muitas coisas por causa desse sentimento, e me arrependo. Desde o deixar de falar para alguém o quanto ela é especial, ao medo quando vejo alguma barata. É estranho falar disso nesse momento, mas também existe esse tipo de medo, e eu não poderia deixar de citá-lo aqui.

Existem medos bobos e medos que se duvidarmos, com o tempo podem se tornar doentio. Imagine uma pessoa que não consegue viver porque tem medo de se arriscar, de perder, de se machucar. É bem verdade que ninguém gosta de sentir nenhuma dessas situações que acabei de citar, porém quem não perde o medo e arrisca, não vive.
Ah, mas é tão clichê falar assim. Porém é um clichê totalmente verdadeiro. Então, por mais que alguém diga que não sente medo de nada, essa pessoa, no seu mais íntimo sente medo de algo sim. Às vezes até de uma coisa que para as outras é tão banal sentir medo.

Mas enfim, termino por aqui, espero que tenham gostado, tentei falar um pouco sobre esse sentimento que às vezes faz pessoas deixarem de realizarem até seus sonhos.
Um beijo e ótimo final de semana para vocês!

5 comentários:

Larissa disse...

O medo sempre nos bloqueia, é incrível.
Hoje em dia, muitas vezes eu deixo de dizer pra alguém o quão importante ela é pra mim, e tudo por medo, receio, insegurança.
Oh sentimento pra derrubar a gente esse tal de medo.
E eu tenho um medo irracional: de agulha, e quero fazer uma tatuagem, um tanto contraditório né? Tenho certeza que quando eu fizer vou sair de lá mal parando em pé de tanto medo.

Mandag Súlimo disse...

Lindo post Tiss. O medo é fantástico, capaz de imobilizar as pessoas diante das mais variadas situações. ´

Nós homens inicialmente temos o medo de chegar nas meninas, de tomar um fora, e esse receio é algo cruel. Para cada um se mostra de uma forma, no começo eu era muito tímido e ainda sou rsrs, mas foi difícil superar esse medo, na verdade ele ficava escondido e eu nem ligava, não procurava nenhum relacionamento justamente para não ter que enfrentá-lo, e o medo de tomar um fora, ser negado por alguém, fiquei afastado de relacionamentos por anos.

Depois foram tão naturais os acontecimentos que me levaram até ele que passei fácil por isso, parece que tudo aconteceu no devido tempo e com a devida naturalidade, a paixão foi muito mais forte que o medo.

Recomento um site que o medo é bem representado, da mesma produtora do nosso banner 'Recomeço': http://www.odiariodevirginia.com/index.html

Carol disse...

Medo é essencial, se não do que seriam os corajosos?

Cátia Ana disse...

O medo é necessário. O medo destrói. O grande problema é justamente perceber em qual momento ele está sendo sadio e em qual momento ele está bloqueando e podando.
Ter medo em situações de perigo é instintivo, é normal. Ter medo quando se vai conhecer alguém, entrar num emprego novo também é normal, e o mais difícil nessas situações é não deixar que esse medo ganhe forças, porque aí não sobra coragem pra fazer mais nada.
Obrigada pela referência ao Diário, Mandag. Ele trata justamente disso, desse exercício constante e dessa grande batalha que todos os dias travamos contra o medo.

Senbi ∞ Phoenix disse...

Concordo com tudo que diz

eu também tenho medos variados dentre eles , medo de perder amizades e medo de espíritos (isso é um pouco irracional já que sou espírita mas não tem jeito).

Belo post parabéns Tiss.