quarta-feira, 28 de julho de 2010

Amor Filial

Ao longo da minha vida e em meus relacionamentos descobri que amor de um para com outro (namorado(a), noivo(a), amante...) não existe, ou então ainda nao consegui compreender que não é apenas ilusão. Esse tipo de amor se dá atraves de convivencia, podendo acabar de uma hora para outra e facilmente ser reiniciado com outra pessoa."Que seja eterno enquanto dure." Então o aproveite enquanto estiver bom. rsrsrs

Já o amor filial é único! E esse sim é VERDADEIRO com todas as letras.


Imagine um feto dentro da barriga de uma futura mamãe em seu quarto mês de gestação. Antes mesmo do bebê nascer os pais já o amam INCONDICIONALMENTE. Um amor entre o pai e o filho, aquele amor que já existia antes mesmo de nascermos. Um amor que permanece conosco por toda a nossa vida e nos seguirá até mesmo além do túmulo. Os filósofos chamavam este amor de Ágape, amor por mais uma razão a não ser de existir.

Sinceramente, não sei o que eu seria sem esse amor, sem meus pais e principalmente sem minha mãe. Devo tudo o que sou a eles, sempre me apoiram e me amaram intensamente. Nos altos e baixos, sempre foram eles que estiveram e que sempre estarão ao meu lado!
Esse tipo de amor é o que eu admiro, esse é o amor que eu sempre levarei comigo!

Pai, Mãezinha, obrigado por tudo!
Amo vocês!!!


*Um post bem pequeno mesmo sendo o tema escolhido por mim, entretanto quando comecei a escrever não conseguia mais parar, não tinha explicações suficientes, e comecei a contar toda minha vida para mostrar como esse amor é importante para mim(E não só para mim né?!). Era um post inviável para os leitores, ninguém teria saco de ler. Apaguei e resolvi tentar explicar o amor filial com poucas palavras assim como ele é: Sincero, Único, Direto e Verdadeiro!

4 comentários:

Larissa disse...

Concordo com o que você disse sobre o amor de pai e mãe serem verdadeiros e sinceros, mas não é com todo mundo que acontece isso, infelizmente.
Eu acredito que haja sim amor verdadeiro com um companheiro, e que isso possa ser pra sempre, é raro, muito raro, mas eu acredito.

Senbi ∞ Phoenix disse...

Apesar do seu post estar curto está bom ^^, mas eu discordo de você em só um ponto , nem todo pai nem toda mãe sentem amor verdadeiro por um filho , e acho que é por isso que podemos destacar as mães que abortam ou jogam os filhos recém nascidos em lixeiras ,das mães que mesmo arcando com as consequências ainda assim escolhem por ficar com o bebê , e os pais que abandonam as mães depois de saberem que estas estavam grávidas(no meu caso, por não saber quem é meu pai, entre outros fatores aqui não cabíveis), dos que continuam mesmo assim construindo uma família e um bom relacionamento.
belo post ^^.

Mandag Súlimo disse...

Belo post =p

Eu considero o amor pelos nossos pais um amor diferente, até de uma categoria diferente, é uma ligação sanguínea que nos une, e também uma ligação financeira no mundo de hoje, se fosse tão verdadeiro esse amor ninguém ía querer sair de casa para viver sua vida longe deles.

Mas e o amor que você tem pelos amigos e pela namorada, todos gostariam de morar juntos deles, não?

Guru Rorschach disse...

Agradeço enormemente os comentários e as "criticas". Claro que tudo na vida tem exceções, coloquei ao meu ver e como são comigo as coisas... talvez eu tenha passado ... (fugiu a palavra :S)demais. Por exemplo: eu acredito sim que posso um dia encontrar um amor verdadeiro com um companheiro. Nao me fecho só com o lado negativo, só não acredito muito...
Obrigado mesmo pelos comentários, principalmente principalmente do Senbi por ter aberto um pouco de sua vida pra gente.

Grande abraço!