quarta-feira, 28 de julho de 2010

E quando a gente perde?

Quando fui informada sobre o tema fiquei com um certo receio, não sabia ao certo o que escrever, nem sobre qual sentimento.
Pensei em falar sobre o amor, mas eu não sou boa em falar sobre sentimentos bons. Então pensei em falar sobre o ódio, mas acho que também não saberia falar bem sobre ele.
Mas hoje eu assisti ao filme Sempre ao seu lado, é a terceira vez que assisto, e é a terceira vez que eu choro, sou uma pamonha, eu sei.
Então eu parei pra pensar no “sentimento” de perda, ou “sentimentos”, porque quando perdemos alguém é como uma avalanche de sentimentos e sensações, que te inundam, e você fica lutando para não se perder em meio a toda confusão.
O que mais me deixa aflita é que eu nunca perdi ninguém que eu realmente amasse, e eu não estou falando de perder alguém para outro alguém, e sim de perder alguém para a morte, porque só ela é capaz de levar a pessoa pra sempre da sua vida.
A maior perda que eu tive foi minha cachorra (por favor, não ria, doeu muito). Quando ela se foi eu quase entrei em depressão (mesmo), chorava todos os dias, e sentia como se um pedaço de mim tivesse ido embora. Como eu disse, foi a minha maior perda, e é isso que me angustia, eu amava ela, mas ela era um animal, uma cachorra, e quando for uma pessoa?
E quando for meu pai ou minha mãe? Aqueles que se preocupam porque você ouve músicas “hereges” e sentem medo pela sua “pouca religião”. Aqueles que te irritam quando não te deixam fazer algo, ou quando tiram da parede um pôster de um cara que morreu de overdose, mas que você ama e admira. Aqueles que ficavam preocupados quando você aprontava algo. Aqueles que te amam, aqueles que você realmente ama.
Uma pessoa que eu realmente ame, que eu sempre tive ao meu lado, em minha vida. Penso como vai ser, porque a morte é cruel, ela não dá chance para você se despedir, para um último abraço, para uma última palavra. Ela pega a pessoa e a leva embora, aquela pessoa que você tanto ama, some. Deixa apenas vestígios de tudo o que já aconteceu, mas se vai e leva junto um pedaço de você que nunca voltará, esse pedaço também se vai para sempre, para um lugar qualquer, ou para o nada.
E o que fica? Sentimentos, eu imagino. Frustração, saudade, tristeza, muitos sentimentos misturados. E eu tenho medo, muito medo. E por quê? Porque eu não sei se vou resistir, se vou aguentar, se vou sobreviver, se vou conseguir seguir em frente.
Eu sou fraca, e sei que vou perder essas pessoas, mas não sei se vou compreender, se vou resistir. Tenho a impressão de que toda essa dor vai me abater, vai me derrubar, e eu sei que esse tipo de perda não vai ser curada com uma boa música, nem com um bom livro, e tenho minhas dúvidas se uma boa companhia também irá resolver.
Não sei que nome dar a esse sentimento de perda. Dor? Não sei, acho que dor é singular demais para um sentimento assim.
Não sei ao menos como é sentir tudo isso em seu ápice, então vai ser difícil eu descrever o que queria.
Mas e você? Como você lida com isso?

2 comentários:

Mandag Súlimo disse...

Que post legal hehehe, esse sentimento de perda é algo que ainda não faz parte da minha vida. Nunca perdi ninguém para a morte, além de parentes distantes. Não sei qual será a minha reação, sei que não farei nenhuma besteira, meu lado racional é forte demais para permitir isso, assim creio eu. E espero que isso ainda demore pra acontecer, não quero descobrir a minha reação tão cedo.

Acho que o sentimento da saudade acima de todos irá permanecer com mais intensidade.

Belo post, parabéns adult_erada :D

Senbi ∞ Phoenix disse...

gostei muito e inclusive eu iria falar sobre esse tema tb^^, mas falar de perda é algo mto doloroso ainda mais porque eu sou muito apegado aos meus parentes próximos e amigos também.
Não saberia lidar com a perda de um deles .